Tuesday, July 08, 2014

Aprendendo a ouvir críticas (negativas)



Adoramos receber elogios. Todos nós, sem exceção.

Talvez seja por isto que a maioria dos escritores envia seus livros recém-concluídos para parentes e amigos, pois sabe, internamente, que deles receberão comentários positivos.
São as migalhas para alimentar a nossa autoestima.

No entanto, qualquer artista sério terá de encarar, em algum momento da sua carreira, os ataques. Não existe unanimidade; nenhum livro é bom para todos, aliás, nenhum livro é ruim para todos também.

Por mais que você receba centenas de elogios, assim que ouvir a primeira crítica negativa, você só conseguirá pensar nela, em como rebatê-la, em argumentar, xingando mentalmente quem o criticou.
O negativo tem um impacto tremendo, ofuscando todo o resto. Justamente por isto que é preciso realizar um esforço de compreender a origem da crítica e como você pode se beneficiar disto.

Assim que ouvir uma crítica negativa, repasse para si a seguinte lista:

1 - para criticar o meu trabalho, esta pessoa teve de conhecer a minha obra. Há milhões de livros para serem lidos, por que ela escolheu justamente o meu?

2 - ninguém tem obrigação de elaborar uma crítica negativa. Muitas pessoas devem ler o que você escreve e não gostar. O que a motivou a dedicar o tempo dela para criticá-lo?
Isto quer dizer que, de algum modo, você a afetou, ao ponto de ela ter de expressar isto.

3 - posso extrair algo de bom desta crítica?
Nem toda crítica é simplesmente destrutiva. Às vezes, o leitor é vago, sem explicitar exatamente o que o desagradou, porém, alguns são bastante específicos, indicando detalhes que realmente poderiam ser melhorados.
Este tipo de leitor crítico é bastante valioso para um escritor.

4 - é uma crítica maldosa, realizada apenas para magoar o escritor?
Se este for o caso, resista à tentação de responder ou retrucar. Mande o leitor se foder em seus pensamentos.
Isto pode ser reconfortante.

Críticas são inevitáveis, porém podem ser, ocasionalmente, o melhor termômetro de que você está sendo lido.
Os que rastejam raramente são percebidos. Os que voam é que costumam ser os alvos.

2 comments:

Tales Gubes said...

Bah, críticas negativas vão aparecer, sem dúvida! Excelente teu post porque toca numa questão que, de um jeito ou de outro, acerta em cheio no ego de quem cria.

Muito bacana teu blog, diga-se de passagem. Gostaria de trocar figurinhas contigo. :)

joão paulo mendes de carvalho said...

Bom.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.